Eugenio de Lima e Pitella Advogados (Ir para a página inicial)
Ir para a página inicial Home Quem Somos Clientes Livros Eventos White Papers Imprensa Equipe Fale Conosco  
 
Press Releases     Artigos     Assessoria de Imprensa
 
Escritório Virtual: envie sua dúvida jurídica     Pesquisar:    
 
 
 
 
Clippings Jurídicos  
 
     
  Idoso ganha ação no TJ contra plano de saúde  
  (21/12/2007 12:36:00)  
     
  Unimed também deverá pagar ao reclamante, a título de repetição de indébito, o dobro do valor cobrado indevidamente  
     
 
O juiz Yale Sabo Mendes, titular do Juizado Especial Cível do Planalto, em Cuiabá, julgou procedente a ação movida por um associado da cooperativa de trabalho médico Unimed Cuiabá e declarou a aplicabilidade do Código de Defesa do Consumidor no contrato firmado entre as partes. Ele também declarou nulas as cláusulas contratuais que embasam os reajustes combatidos pelo usuário, em razão da abusividade e ilegalidade das mesmas. De acordo com a decisão judicial, deverá incidir apenas o reajuste autorizado pela Agência Nacional de Saúde (ANS) ou outro que advenha de acordo realizado, mas nunca superior ao autorizado pela agência reguladora. Também foi declarada a nulidade da tabela que aplique valor diferenciado para o usuário acima de 60 anos, sendo que no caso em questão devem ser anuladas as duas últimas linhas da tabela utilizada pela cooperativa, que prevêem tarifa diferenciada entre 60-69 anos e acima de 70 anos.

Além disso, a Unimed também deverá pagar ao reclamante, a título de repetição de indébito, o dobro do valor cobrado indevidamente, em decorrência da aplicação de reajuste anual abusivo no importe de R$ 1.277,95, referente aos reajustes abusivos aplicados. A cooperativa também foi condenada a pagar R$ 1.615,00 referentes à diferença da faixa etária cobrada acima dos 60, o que é vedado pela legislação. ``Depreende-se que o requerente pagou indevidamente à requerida a totalidade de R$ 2.892,95, fazendo jus, pois, ao recebimento da importância de R$ 5.785,90, a título de repetição de indébito``, explicou. A título de danos morais, ele condenou a cooperativa a pagar o valor de R$ 15,2 mil, acrescidos de juros e correção monetária

Insatisfeito com o aumento no valor do plano de saúde, o associado ingressou com ação de revisão contratual com declaração de nulidade de cláusulas abusivas e restituição de valores cumulada com indenização por danos morais com pedido de tutela antecipada, a fim de que as mensalidades sejam cobradas de acordo com os índices autorizados pela ANS. Ele também buscou, com êxito, que a Unimed se abstenha de cobrar tarifa diferenciada aos beneficiários com idade maior de 60 anos. Já a empresa, no mérito, deduziu pretensões a respeito da diferença entre contrato coletivo e contrato individual, no qual alegou que, em se tratando de contrato coletivo, não deve incidir as normas estabelecidas pela ANS.




Fonte: Silvana Ribas / Gazeta Digital
 

    Voltar

       
 
 
 
ANUARIO BRASILEIRO DE DIREITO DA SAUDE, GERENCIAMENTO DE RISCO LEGAL E ACREDITAÇÃO EM SAÚDE
Lançamento: Novem
Comprar  
   
 
 
SAUDEJUR
Lançamento realizado em 07/08/2012 na abertura do 19o Congresso Mundial de Direito Médico
Comprar  
 
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
 
Clipping Jurídico    
 
 
 
Jul, 21, 2014 | Hospitais querem mudar a forma de cobrar por serviços  
 
 
Jul, 21, 2014 | RS: Operadoras denunciam cartel no Estado  
 
 
Jul, 21, 2014 | Polícia diz que houve omissão de socorro em hospital de SP  
 
 
Jul, 21, 2014 | Anvisa suspende lotes de remédio que trata teores baixos de cálcio  
 
 
Jul, 21, 2014 | Leis que discriminam homossexuais ajudam na propagação do HIV  
 
 
Jul, 21, 2014 | Sem erro médico, cirurgiã plástica não pode ser responsabilizada  
 
 
Jul, 21, 2014 | Dilma minimiza evasão de profissionais do programa Mais Médicos  
 
 
Jul, 21, 2014 | Negligência: erros médicos são difíceis de provar nos tribunais  
 
 
  Parceiros  
 
    AC Accreditation Canada   AMIB
 
    BCI Boston Cambridge Institute   FBG Federação Brasileira de Gastro
 
    Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia   IQG
 
    SBOT   SBOT-SP
 
    SBRA   SBRH
 
    SOGESP  
 
 
Eugenio de Lima e Pitella     Política de Privacidade     Termos de Uso
© 2007-2007 Eugenio de Lima e Pitella Advogados. Todos direitos reservados.
 
Powered By Pronto Fatto - Agência Digital Inteligente - 2010